28/07/2016 - 00h45 - Atualizado em 02/08/2016 - 11h36

ENTREVISTA: Jean Ramos - Foco e concentração em busca do título do Arena Cross

Vice-campeão em 2015, Ramos entrou na disputa desse ano com o foco redobrado

Fonte: Romagnolli Eventos

Líder do campeonato, piloto da Yamaha Geração contou sobre suas expectativas e sobre sua preparação para a última etapa

A temporada 2016 do Arena Cross já se encaminha para o seu final. Restando apenas uma última etapa e duas baterias para os pilotos da categoria mais disputada da competição, a PRÓ, o campeonato ganhou em 2016, um novo favorito ao título. Jean Ramos, curitibano da Yamaha Geração que vem voando baixo e liderando a busca pelo troféu.

Piloto da Yamaha Geração vai para a pista focado e com o regulamento a seu favor

Vice-campeão em 2015, Ramos entrou na disputa desse ano com o foco redobrado e, livre de lesões, se manteve sempre entre os primeiros em treinos classificatórios e nas provas, o que lhe garantiu os 137 pontos e a liderança do campeonato, com 12 pontos de vantagem para o português da Honda Mobil, Paulo Alberto;
Podendo ser campeão já na primeira bateria da última etapa, Jean Ramos conversou com a equipe do Arena Cross e contou sobre sua expectativa, mudanças e sobre o seu momento dentro do motociclismo.

Favorito ao título, Ramos se mantém focado para a última etapa do Arena Cross

Arena Cross - Jean, pelo segundo ano consecutivo, a disputa pelo título do Arena Cross ficou polarizada entre você e o português Paulo Alberto. Em 2015, uma queda na segunda bateria da última etapa te impediu de talvez conquistar a competição. O que você acha que mudou para 2016?

A principal diferença entre as duas temporadas é que em 2016 eu consegui entrar ainda mais focado, mais bem preparado. Em 2015 tive um grande problema que foi voltar de uma fratura, o que me deixou com muita insegurança no início da competição. Além disso, estava entrando em uma equipe nova, com uma moto nova, tudo novo. Era natural um período de adaptação e demorei até começar a confiar em mim mesmo. Já em 2016, entrei 100% focado e acreditando em mim mesmo e acho que essa foi a maior diferença.

AC - Na etapa vencida por você em Campinas, você acabou comentando que entrou na disputa disposto a utilizar o regulamento a seu favor. Vai assim para a última etapa também? O momento é de administrar a vantagem ou de se arriscar por mais vitórias?

Com certeza a ideia é essa. Tenho a consciência de que posso ser campeão na primeira bateria da noite, mas não vou colocar tudo em jogo e arriscar a temporada toda. Se der pra ser campeão na primeira bateria, vai ser ótimo, mas se não der, vamos conquistar na segunda. Teremos duas longas baterias de 15 minutos.

AC - Como vai ser sua preparação até a etapa final da competição?
Não pode mudar. Minha preparação segue sendo intensa. Estou me recuperando de um tombo do Brasileiro de Motocross, mas em breve volto com tudo e focado na decisão do Arena Cross.

AC - Acha que entrar na última etapa liderando vai ser mais fácil do que em 2015, quando entrou na segunda posição?

Com certeza é mais fácil entrar liderando. Felizmente tenho uma boa margem pra poder até errar, mas espero estar bem no dia e não cometer nenhum erro, me garantindo como campeão na primeira bateria.

AC - Você pode dizer que as duas baterias vencidas por você na etapa de Campinas estão entre as mais difíceis da sua carreira no Arena Cross?

Com certeza estão sim e por dois fatores. A penúltima etapa é sempre uma das mais importantes do campeonato e do jeito que foi, tornou tudo ainda mais especial. Na primeira bateria eu estava na frente e acabei acertando meu companheiro de equipe quando estava dando uma volta nele e com isso acabei perdendo o freio dianteiro ao mesmo tempo em que o Paulo Alberto veio com tudo. Me defendi ao máximo e consegui vencer com muito esforço. Na segunda bateria os problemas já se iniciaram na largada e me acompanharam até a última volta. Lutei muito e na última volta consegui a liderança e vencer. Nada durante a temporada foi fácil, mas espero ser campeão a comemorar cada gota de suor derramado durante o ano.

AC - Qual a importância de um título do Arena Cross para a carreira de um piloto?

Acho que quando falamos de Arena Cross, todo mundo sabe do que se trata, como é a competição e o quão difícil é ser campeão, ainda mais em uma disputa com pilotos estrangeiros. Se eu realmente conseguir o título, com certeza vai ser o reconhecimento de um árduo trabalho de longo tempo.

AC - Por dois anos consecutivos, você e o Paulo Alberto dominaram as ações do Arena Cross. Como é sua relação com os demais pilotos da PRÓ? Essa temporada te deixa mais preocupado para as disputas de 2017?

A relação com todos os pilotos que disputam o Arena Cross é boa, mas na hora que cai o gate é cada um por si dentro da pista. Sei que o Arena Cross vai ser sempre muito bem disputado e com muitas emoções. Minha expectativa é de que na próxima temporada eu possa estar brigando pelo título novamente.

Comentários,

Comentar matéria

Não houve comentários sobre este assunto.

West Coast - 306x100

esportes,19 Nov