12/11/2012 - 14h40 - Atualizado em 14/11/2012 - 10h32

Adotar um estilo de vida significa atitude. Isso Valéria e Cláudia tem de sobra

"Harleyras", as duas adquiriram duas jaquetas super exclusivas da marca Harley-Davidson.

Zuun,motorcycles

Pode-se dizer que Harley-Davidson não é apenas uma marca, mas também um estado de espírito. Um sentimento que nasce e se torna parte de cada “Harleyro”. As amigas, Valéria Aranha e Cláudia Fujarra, compartilham uma paixão incondicional pelo estilo Harley. Cada uma delas adquiriu uma jaqueta comemorativa dos 110 anos da marca americana para que esta fique cada vez mais ligada às suas vidas.

Para entender melhor o caso, vamos aos fatos: A Harley-Davidson foi criada em 1903 e, devido ao aniversário da marca que será comemorado em 2013, apenas 1903 jaquetas femininas e 1903 masculinas foram confeccionadas para todos os Harleyros do mundo. 

Segundo a ONU, a população mundial chegou a 7 bilhões de pessoas. No primeiro trimestre de 2012, foram vendidas cerca de 59 mil motos da marca em todo o mundo. Todos esses números provam ainda mais o sentimento das duas brasileiras.

Durante o National H.O.G Rally 2012, entrevistamos as duas amigas para saber sobre esse amor que pulsa no peito. Ambas viajaram juntas com suas lindas motos para lugares como o Deserto do Atacama, Patagonia, Ushuaia e Estados Unidos.

Cada jaqueta desta edição limitada dos 110 anos da marca custou 680 dólares. Foto: Zuun,motorcycles

Zuun,motorcycles - Porque essa paixão por Harley-Davidson?

Valéria Aranha – Moto é um estilo de vida que adotamos, que abraçamos. E a Harley tocou o nosso coração, e vamos continuar andando com motos da marca até não podermos mais. Quando eu não poder andar mais, comprarei uma Tri Glide.

Cláudia Fujarra – Acredito que tudo começa pela paixão por motocicletas, que é o meu caso, independente de ser Harley ou não. Ma,s a partir do momento em que você entra no mundo dessa marca, não consegue sair mais.

Zuun,motorcycles – Quais as sensações que as levam a continuar viajando?

Valéria Aranha – Muita liberdade, felicidade. É uma terapia, dentro do capacete é um divã! Você vai pensando na sua vida, vendo a paisagem e fazendo parte dela. Além de conhecer lugares e pessoas novas. Naquele momento você não está preocupada com conta, saúde, com nada disso! Você só se preocupa com a estrada, a moto e seu companheiro de viagem.

Cláudia Fujarra – E com a Harley há um fator muito importante: confiança na marca. É saber que você está com uma moto que tem todas as revisões feitas, mecanicamente em dia. Saber que ela não vai te deixar na mão. E, para nós que somos mulheres e andamos sozinhas, conta bastante.

Valéria Aranha – Mas também não restam dúvidas que nós vamos preparadas para isso, para solucionar pequenos problemas que possam surgir. Viajamos sempre com as ferramentas corretas e sempre tentando minimizar ao máximo qualquer contratempo que possa acontecer.

Zuun,motorcycles – A Valéria contou que quando não conseguir mais caminhar vai comprar uma Tri Glide, e você, até quando pretende andar de moto?

Cláudia Fujarra – Eu espero não ter que parar (risos).

As duas amigas são apaixonadas por Harley-Davidson. Foto: Zuun,motorcycles

Zuun,motorcycles – Vocês já tiveram que parar de andar em algum momento?

Valéria Aranha – Eu só parei de andar de moto no período de gravidez, mas agora meus filhos já são adultos.

Zuun,motorcycles – Já que você falou em filhos, eles já foram para o caminho do motociclismo?

Valéria Aranha - Muitos filhos de amigos rumam para esse caminho, já os meus não. Não é a “praia” deles. 

Comentários,

Comentar matéria

Não houve comentários sobre este assunto.