14/01/2013 - 10h50 - Atualizado em 14/01/2013 - 16h39

Exclusivo: Conheça Leonardo Sebben, um dos destaques do Motocross Gaúcho

Piloto de 28 anos coleciona títulos por onde passa.

Zuun,motorcycles

O motocross é um esporte que vem ganhando importância ao longo dos anos no Estado do Rio Grande do Sul. Alguns nomes se destacam no cenário nacional e, até mesmo, internacional. Conheça agora um pouco sobre a história de Leonardo Sebben, um piloto natural de Caxias do Sul e famoso pela sua forma intensa de pilotar, sempre buscando melhores resultados e aperfeiçoamento de suas técnicas. Sebben possui vários títulos em seu currículo.

Em entrevista exclusiva, o atual campeão gaúcho de motocross (2012), revelou suas projeções sobre o esporte. 

Sebben é piloto da equipe Transpelúcia, uma das mais famosas do estado. Foto: FGM

Zuun: Como começou a andar de moto?

Sebben: O motocross faz parte da minha vida há vinte e dois anos. Com seis anos de idade eu tinha uma “cinquentinha” (moto de 50cc) que meu pai me deu para me divertir nos finais de semana. Sempre gostei muito de moto e andava sempre que podia. Diferente de muitos outros meninos que jogavam futebol, a minha diversão era andar nas pistas em finais de semana. Foi assim que comecei e depois disso, nunca mais parei.

Zuun: Quando decidiu entrar no esporte de uma maneira competitiva?

Sebben: A paixão que eu sentia pela moto foi “entrando no sangue” e a vontade de competir foi crescendo. Via o pessoal correndo e na medida em que eu fui evoluindo, vi que eu tinha potencial para participar das disputas. Comecei na categoria 50cc e procurava estar nas pistas em todos os finais de semana.

Piloto é o atual campeão gaúcho de motocross. Foto: Divulgação Zuun,Motorcycles

Zuun: O que a moto significa na sua vida?

Sebben: Poderia falar frases e frases aqui, mas acredito que uma palavra resuma o que a moto é para mim: Tudo! Dedico minha vida a ela. Não sou muito fã de motos de rua, pois acho um pouco perigoso, mas não existe nada como o MotoCross e a adrenalina que você sente acelerando, de maneira consciente, na pista. É um sentimento único e inexplicável.

Zuun: O que você sente quando está na pista competindo?

Sebben: É uma sensação incrível. A adrenalina sobe e você se preocupa apenas com quem está na sua frente e sua cabeça fica focada apenas na corrida. O Motocross é um esporte no qual se você largar mal, dificilmente recupera posições perdidas, então normalmente nem piscamos para não perdermos tempo. Depois de cada bom resultado, toda a adrenalina se transforma em alívio e satisfação.

Zuun: Quais são os teus melhores resultados nas pistas?

Sebben: Tenho três títulos do gaúcho de motocross, fui dez vezes campeão estadual de veloterra, tenho diversos títulos regionais de MotoCross, conquistei um Sul Brasileiro de MotoCross e tenho uma segunda colocação no brasileiro de MotoCross. Acredito que para um piloto conquistar tantos títulos é necessário ter muita humildade e dedicação.

Zuun: Como você analisa as competições realizadas no Rio Grande do Sul?

Sebben: Temos campeonatos muito consistentes e competitivos. Nosso estado é um dos melhores para competir. Acho que um fator que poderia melhorar é o fato das datas mudarem constantemente e da incerteza de quantas etapas cada competição terá. Assim, fica mais fácil para os pilotos se organizarem.

Leonardo Sebben é famoso pelas manobras que realiza em pista. Foto: Divulgação Zuun,Motorcycles

Zuun: O que significa para você participar de uma equipe como a Transpelúcia (Uma das equipes mais conhecidas no Motocross gaúcho)?

Sebben: Nossa equipe é forte no cenário do motocross gaúcho e é formada apenas por amigos. Começamos tudo em uma “brincadeira”, competindo juntos e sem muito compromisso. Hoje, levamos a sério cada prova que disputamos e procuramos sempre dar o nosso melhor para contribuir com os colegas. Tem alguns pilotos mais jovens que estão “chegando”, procuro sempre passar tudo o que já aprendi para essas promessas do esporte.

Zuun: Quais são os teus planos para o futuro?

Sebben: Eu sempre procuro pensar “passo por passo”. Hoje, tenho 28 anos de idade, estou focado no ano de 2013 e espero que a equipe chegue ainda mais forte em todas as categorias que tiver algum dos nossos pilotos. Estou me preparando para chegar forte no Gaúcho e no Regional de motocross, também existe a possibilidade de disputar algumas etapas do brasileiro. Vou esperar 2013 acabar para planejar 2014, é assim que sempre costumo fazer, todo o foco no ano que está começando.

Comentários,

Comentar matéria

Não houve comentários sobre este assunto.