30/05/2013 - 08h00

'Quero superar o Ricky Carmichael'. Confira a entrevista exclusiva

Piloto gaúcho já possui um vasto currículo de títulos e é a grande promessa do motocross brasileiro.

Zuun,motorcycles

A cidade de Carlos Barbosa recebeu nos dias 13 e 14 deste mês, a primeira etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross 2013. Durante o evento, nomes consagrados do esporte nacional proporcionaram um verdadeiro show ao público que se fez presente. Mas “nem só de lendas vive o motocross”. Enzo Lopes, uma das maiores promessas do motociclismo brasileiro, participou da etapa. O Gaúcho, natural de Lajeado, estava se recuperando de lesão e, mesmo assim, venceu a prova da categoria Júnior.

O garoto está com 13 anos de idade, 18 títulos nacionais e já compete nos Estados Unidos. Para os apaixonados por motocross, cada bateria vencida por Enzo significa a esperança do surgimento de um Brasileiro que possa fazer frente a pilotos americanos e europeus.
A Equipe Zuun conversou com o jovem piloto. Confira agora a entrevista exclusiva e conheça mais sobre a grande promessa, Enzo Lopes.

 Enzo venceu no Rio Grande do Sul, depois de se recuperar de lesão. Foto: Zuun Motorcycles

Zuun: Como você começou a andar de moto?

Enzo: A moto sempre fez parte da minha vida. Meu pai anda de moto desde muito novo. Ele fazia trilhas nos finais de semana e corria no motocross, como forma de lazer. Durante a minha infância, eu assistia a DVDs de moto, aquilo era uma diversão para mim, e me imaginava correndo um dia. Quando tinha 3 anos de idade, meu pai me presenteou com uma moto, foi quando andei pela primeira vez. Pela forma com que a moto entrou na minha vida, costumo dizer que eu já nasci apaixonado pelo esporte.

Zuun: Como é andar de moto no chamado “país do futebol”?

Enzo: Eu até gosto de futebol, mas amo o motocross. Meus amigos, por exemplo, não entendem muito sobre esse esporte. A maior dificuldade é encontrar apoio e patrocinadores. Como não existe uma divulgação forte, como a do futebol, as empresas não costumam investir no motocross, tornando mais difícil a permanência dos pilotos.

Zuun: Como se deu sua evolução no esporte?

Enzo: Fui campeão gaúcho pela primeira vez aos 6 anos, na categoria 50 cc. Dalí em diante, só melhorei meu desempenho e aumentei meu número de títulos gaúchos. Em 2009, subi para a categoria 65 cc e continuei conquistando títulos. Hoje, tenho 18 títulos nacionais e estou competindo nos Estados Unidos.

Foto: Zuun Motorcycles

Zuun: Qual a sensação de competir nos Estados Unidos?

Enzo: Vou para os Estados Unidos cerca de dez vezes por ano, junto com a minha família. Lá, eu corro ao lado dos melhores pilotos da minha categoria, o que me proporciona um alto grau de aprendizagem. Sinto uma enorme satisfação em poder fazer parte da equipe Red Bull e de competir na terra do motocross. Sinto-me privilegiado por ter a oportunidade de representar o Brasil.

Zuun: Quais são as diferenças dos pilotos americanos para os brasileiros?

Enzo: Os americanos são muito mais “agressivos” e possuem muito mais técnica. É difícil correr fora do país, mas eu procuro treinar muito para aperfeiçoar as técnicas e conseguir competir, de igual pra igual, com os estrangeiros. Temos um ditado que diz: “Treino é corrida e corrida é guerra”, procuro levar isso a sério cada vez que alinho no gate.

Zuun: Para você, o que falta para o motocross brasileiro se equiparar com o americano ou europeu?

Enzo: Aqui temos pouco incentivo. Poucas pessoas sabem da existência dos campeonatos de motocross. Muitos até tem vontade de competir, mas o valor do investimento é alto, o que acaba dificultando. A maior parte da mídia brasileira fala apenas de futebol e não valoriza o motociclismo em geral. Por esse motivo, fica bem complicado conseguir patrocínio.

Zuun: Em quem você se espelha para praticar o motocross?

Enzo: O meu ídolo sempre foi o grande campeão Ricky Carmichael. Para mim, ele é um exemplo no esporte. Apesar disso, não quero ser igual a ele, quero superá-lo. Acredito que, com muito trabalho e dedicação, posso atingir esse objetivo.

Se espelhando em Ricky Carmichael, o piloto já possui 18 títulos nacionais. Foto: Zuun Motorcycles

Zuun: Existe muita pressão vinda de sua família ou dos patrocinadores, para que você conquiste bons resultados?

Enzo: Sempre tem um pouco. A maior parte vem dos patrocinadores, que investem e querem ver resultados. E pai é pai (risos), como ele sabe que tenho potencial, sempre espera que eu vença. Mas vejo isso pelo lado bom, uso como motivação para melhorar a cada corrida. Durante toda a minha carreira, minha família esteve do meu lado. Eles sempre me acompanharam nas pistas e me deram todo o apoio necessário. Posso dizer que eles são um dos segredos do meu sucesso.

Zuun: O que podemos esperar para a temporada de 2013?

Enzo: Estou voltando de lesão, tive uma fratura no pé, passei por cirurgia há menos de duas semanas e vim para a disputa do brasileiro, estou em fase de recuperação. Vou tentar dar meu máximo, como sempre, e buscar todos os títulos possíveis ao longo do ano. O objetivo é tentar disputar todas as etapas do Campeonato Brasileiro de Motocross e outros campeonatos no exterior.

Comentários,

Comentar matéria
  • Rafael Rocha
    02/05/2013 - 14h07

    Prabéns assim podemos com as respostas do Enzo que ele esta bem direcionado e ciente que não temos incentivo para este esport otimo assim como muitos outros esports,parabéns mais uma ves e bom ano e muitas vitorias!!!!