06/04/2017 - 10h18 - Atualizado em 06/04/2017 - 10h20

KTM trará motor de 2 tempos e injeção eletrônica

Montadora austríaca promete motor de 2 tempos e injeção eletrônica para suas motos, visando oferecer mais economia e desempenho

Zuun,motorcycles

Os apaixonados pelos motores de 2 tempos podem ficar mais felizes e animados, já que a montadora austríaca KTM anunciou que começará a produzir motocicletas com motorização de 2 tempos e injeção eletrônica.

A novidade anunciada pela montadora KTM irá equipar sua linha 2018 EXC de enduro da empresa, como as motocicletas 300 EXC TPi e 250 XC-W TPi, principais destaques da montadora no segmento de enduro e apostas para ser ainda mais competitiva.

Detalhes do novo motor KTM 2 tempos
Segundo a montadora, a empresa está desenvolvendo um sistema de injeção eletrônica para motor de 2 tempos por um longo tempo, já que ela desejava oferecer motos e motores competitivos com os benefícios da injeção eletrônica.

De acordo com a empresa, as principais vantagens de contar com uma motorização de 2 tempos e injeção eletrônica são contar o melhor desempenho, menor consumo de combustível, evitando também a necessidade de realizar pré-mistura do combustível antecipadamente.

Além disso, a montadora também informou que foram realizadas alterações no modo de entrega de potência dos modelos, o que deve garantir desempenho melhorado na linha atualizada.

Diferenças entre motores de 2 e 4 tempos
Geralmente as motocicletas contam com motor 4 tempos, enquanto os motores de 2 tempos são mais populares em jet-skis, motosserras, aeromodelos e outros equipamentos de motorização mais simples.

O grande diferencial do motor 2 tempos é sua construção mais simples do que os de quatro tempos, além de seu peso ser consideravelmente mais leve, o que é especialmente interessante quando tratamos de motocicletas voltadas ao enduro/Off-Road, como as apostas da KTM para a linha 2018.

Motores de 2 tempos: Como funciona?
Os motores de dois tempos, em geral, contam com sistema onde o pistão funciona como válvula deslizante, onde ele comprime a mistura no cilindro no primeiro tempo, produzindo rarefação no cárter, ocorrendo a ignição e combustão da mistura em seguida.

No segundo tempo, os gases da combustão se expandem, o que faz com que o pistão desça, comprimindo a mistura no cárter e então o pistão abre a janela de exaustão, o que permite a saída dos gases queimados.

Com seu novo motor de 2 tempos, a KTM promete oferecer mais eficiência e tecnologia, além de reduzir o peso e melhorar o desempenho de sua linha Off-Road.

Comentários,

Comentar matéria

Não houve comentários sobre este assunto.